domingo, 4 de fevereiro de 2018

Publicações de 2017

No ano passado, participei da publicação de duas antologias de contos da Andross editora: Sem mais, o amor e Baladas medievais. Como ainda não havia falado muito sobre os livros aqui no blog, decidi montar esse post para comentar um pouquinho sobre eles com vocês.

Meus textos para os dois livros foram escritos durante a primeira edição do Corujaandros, uma maratona de escrita que ocorreu na madrugada dos dias  (você pode conferir aqui minha postagem sobre o evento).

Meu trabalho em Sem mais, o amor se chama Amor literário e conta um romance não muito convencional que tem início a partir de uma visita a um sebo em um dia de chuva. Confira abaixo a "cara" do livro e a sinopse.



SINOPSE: Fernando Pessoa já dizia que “todas as cartas de amor são ridículas”. E afirmava veementemente: “não seriam cartas de amor se não fossem ridículas”. Mesmo não vivendo o suficiente para conhecer novas tecnologias de comunicação, o poeta sabia bem que a interação verdadeira entre duas pessoas que se amam se despe de vaidades e apresenta a pureza de um sorriso. SEM MAIS, O AMOR é uma coletânea de contos românticos em forma de cartas, emails, páginas de diário e outras formas de registro escrito. E o mais importante: são histórias ridículas! Exatamente como o poeta disse que tinham de ser.

Já na antologia Baladas medievais, publiquei um conto intitulado Os cavaleiros são todos tolos. Para escrevê-lo, me inspirei na novela de cavalaria Amadis de Gaula, pegando os nomes de alguns personagens e algumas referências da obra. O meu objetivo foi brincar com a visão de uma princesa sobre os feitos de seu cavaleiro. Veja a capa do livro e a sinopse:



SINOPSE: Na Idade Média, menestréis cantavam histórias populares ao som de alaúdes, narrando aventuras sobre cavaleiros, damas, amores e coisas insólitas, como dragões, magia e criaturas místicas. Esse tipo de música era chamada de balada. Agora, muitos séculos depois, escritores contemporâneos se aventuram em criar histórias que se passem naquela época mágica, resgatando o espírito vivo das baladas medievais.

Ainda tenho exemplares dos dois livros para vender e as informações para compra seguem abaixo.

Valor de cada exemplar: R$30,00 (frete incluso)
Valor para compra dos dois livros: R$50,00 (com frete incluso)
Brindes: marcadores de página e dedicatória.

Como comprar? Entre em contato comigo pelo e-mail ninasiebel@gmail.com ou pelo Facebook

sábado, 27 de janeiro de 2018

Como foi a Maratona Literária de Verão (#JornadaMLV)

Encerrou hoje, às 0h, a Maratona Literária de Verão da qual participei. Foram duas semanas de leituras e compartilhei um pouco dos meus progressos no Instagram, mas agora vou resumir aqui um pouco da experiência. 



Em maratonas longas como essa, já percebi que minha tendência é oscilar entre dias extremamente produtivos em relação à leitura e momentos em que me dedico a outros interesses (e tarefas, porque tenho uma casa para manter e até semana retrasada eu ainda estava trabalhando um turno ). Por mais que eu ame ler, preciso dar uma respirada entre leituras. Por isso, não acho que as maratonas mais longas sejam uma experiência tão intensa quanto as maratonas de 12h ou 24h, ou de alguns dias. Parece que o grande prazo delas deixa a gente mais relaxado.

E, ainda por cima, tive vários acontecimentos nesses dias! Meu sobrinho nasceu, a irmã dele ficou entre a minha casa e a dos meus pais por uns dois dias (como as casas ficam no mesmo terreno, dá no mesmo hehe) e foi uma delícia curtir e brincar com ela (mesmo que eu tenha cansado pra caramba), minha gatinha de estimação foi castrada, ... 

Mesmo assim, fiquei bem feliz com a quantidade e a qualidade das minhas leituras nesses dias. Consegui ler todos os quatro livros que tinha atribuído para a maratona e ainda li mais um livro completo e metade de um outro. Vamos ao saldo e aos comentários sobre as leituras.  


Deuses americanos - Neil Gaiman (574 páginas)
Escolhido para cumprir o desafio "Ler um livro de um autor popular", Deuses americanos foi o primeiro título que li na maratona. Acabei devorando as páginas, porque estava curiosa pelo desfecho da trama. Já havia assistido a série da Prime Video que adapta o livro, então tinha algumas informações e foi muito interessante comparar as duas mídias. Aliás, apesar de serem bem diferentes, as duas versões me agradaram muito. 
Neil Gaiman sempre me surpreende pela sua criatividade ao combinar elementos improváveis em seus enredos e construir histórias impares. 



O retrato do artista quando jovem - James Joyce  (238 páginas)
James Joyce é considerado um dos grandes autores da literatura mundial e o peso de sua obra me fez selecionar seu livro para o desafio "Ler um livro que você sempre teve medo de ler". Comecei a leitura paralelamente com Deuses americanos e foi o livro que demorei mais tempo para ler, como eu já imaginava que fosse acontecer. Levei uma semana e meia para chegar ao fim de O retrato do artista quando jovem e ainda estou digerindo minhas impressões. Gostei muito das duas primeiras partes do livro, mas a partir da segunda metade, há trechos mais cansativos. Sigo gostando da escrita de Joyce e pretendo ler mais obras dele em breve.



Escola de equitação para moças - Anton Disclafani (333 páginas)
Para cumprir o desafio "Ler um livro comprado em uma promoção", Escola de equitação para moças foi a minha leitura. Super envolvente, a narrativa me deixou curiosa para descobrir os mistérios da protagonista. Não sabia o que esperar desse livro, e fiquei feliz por ter encontrado uma trama completa e questionadora sobre os limites das convenções sociais e o autoconhecimento. 



Academia Knightley - Violet Harbedasher (415 páginas)
Academia Knightley se provou uma leitura deliciosa de entretenimento. É um infanto-juvenil no melhor estilo Harry Potter (troque a escola de magia por uma de cavalaria), com personagens que estão numa fase meio crianças e meio adolescentes e enfrentam o preconceito e o elitismo para encontrarem seu lugar no mundo. O título cumpriu o desafio "Ler um livro que, aparentemente, só você conhece" e fiquei torcendo para mais pessoas conhecerem a história, que é bastante divertida. 



A sereia - Kiera Cass (323 páginas)
Depois de concluir minha lista de desafios, optei pela leitura de A sereia, um livro que pra mim tinha cara de verão. Ao comprar esse livro, há algumas semanas, fiquei na dúvida se gostaria dele. Li os três primeiros livros d'A Seleção e minha opinião sobre a estrutura da história ficou bem negativa depois do último volume da trilogia. Mas, para ser justa, lembrei da fluidez da escrita da autora e do quanto foi gostoso ler os volumes iniciais da série, então dei uma chance a esse título único (ainda bem!). Encontrei exatamente o que esperava: uma história fofa e leve, gostosa de ler. Ideal para as férias, valeu a pena investir nele, afinal. 

Cartas a um jovem professor - Leandro Karnal (76 páginas lidas)
Ainda deu tempo de iniciar a leitura do livro do Leandro Karnal, que queria muito ler antes do final das férias. Já assisti a uma palestra desse professor e muitas de suas ideias me agradam. O livro me surpreendeu por seu uma leitura rápida, apesar de trazer várias dicas e reflexões interessantes sobre a minha profissão. Devo terminar a leitura nos próximos dias. 

TOTAL DE PÁGINAS LIDAS: 1959. 

Seguirei com as minhas leituras e em breve farei mais maratonas... Em fevereiro tem a Skindô-Skindô, maratona criada pela Tati do TLT, da qual devo participar de novo. Antes disso, talve eu decida fazer alguma maratona curtinha, para aproveitar as férias. Também espero aparecer por aqui com novos contos ou outros textinhos. 

Até mais! 

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Primeira maratona do ano

Olá, pessoal!

Entre os dias 13/01 e 27/01 ocorrerá a Maratona Literária de Verão do canal Geek Freak, à qual vou aderir. Confira a apresentação da maratona no canal:



A maratona deste ano desafia os leitores a se dividirem entre dois reinos: Galtero, o reino dos guerreiros e vikings, e Arcania, o reino dos magos. Cada grupo tem quatro desafios literários diferentes para tentar cumprir na maratona. Eu escolhi realizar os desafios do reino de Galtero, que estão abaixo, junto com os livros que escolhi para cumpri-los.




• Ler um livro de um autor popular: Deuses americanos - Neil Gaiman

Neil Gaiman é um autor de que gosto bastante e estou bem ansiosa para conferir Deuses Americanos (inclusive, ele é um dos 12 livros que marquei como meta de leitura para 2018).

• Ler um livro comprado em uma promoção: Escola de equitação para moças - Anton Disclafani
Comprei por uns dez golpinhos na Feira do Livro de Porto Alegre do ano passado e estou curiosa para conferir a história.

• Ler um livro que, aparentemente, só você conhece: Academia Knightley - Violet Harbedasher
Outra compra de Feira do Livro de POA, mas não me lembro mais se de 2015 ou de antes. Assim, faz um bom tempo que esse livro está na minha estante e nunca ouvi ninguém falar sobre ele, nem vi em nenhum canal literário ou blog que acompanho. Espero gostar da leitura.


• Ler um livro que você sempre teve medo de ler: O retrato do artista quando jovem - James Joyce

Não tenho medo de nenhum livro em especial, mas como James Joyce é um autor muito bem conceituado e já li Dublinenses, tendo gostado muito, tenho receio de não gostar de algum de seus livros. Por isso, esse livro se enquadrou nessa categoria (e porque eu não tinha nada mais que pudesse encaixar aqui...então tive que dar um jeito). 

Como escolhi alguns livros bem substanciosos, não vou acrescentar mais nada na minha lista de leituras. Se terminar esses livros, escolho outros na minha estante, conforme a vontade bater: o importante é ler muito nessas duas semanas de maratona.

Quem quiser acompanhar meus progressos, pode seguir minha conta no Instagram, na qual posto o andamento das leituras, ou pelo Twitter (@nicole_siebel). No final da maratona, também deve ter postagem aqui contando como foi.

Então, é isso aí, espero que todos que participarão da maratona leiam muito e aproveitem!

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

12 livros para ler em 2018



Começo de ano é tempo de planejamentos e metas. Não tenho o hábito de fazer metas de leitura, apesar de já tê-las estipulado algumas vezes, sem cumprir todas ou substituindo-as no meio do caminho. Porém, nunca é demais tentar se planejar um pouco, então, para 2018, resolvi estipular uma meta usando novamente o modelo da Tatiana Feltrin, do canal TLT, para montar a listinha de leituras. Em seu canal, a Tati determina doze livros para ler ao longo do ano (um livro para cada mês). Eu farei isso um pouco diferente: estipularei os doze livros, mas não vou determinar quando eles serão lidos, nem vou seguir a ordem na qual eles estão na lista (ainda não estou nesse nível de planejamento e organização...hehehe). Você pode conferir o vídeo da Tati, no qual eu me inspirei para compor a minha meta, CLICANDO AQUI

Os doze livros que pretendo ler em 2018 são:




1-Northanger Abbey (Jane Austen)
2-Contos Inacabados (J.R.R. Tolkien)
3-Deuses americanos (Neil Gaiman)
4-O fantasma da ópera (Gaston Leroux)
5- O retrato de Dorian Gray (Oscar Wilde)
6- O nome do vento (Patrick Rothfuss)
7-Contos africanos (Diversos)
8- Cujo (Stephen King)
9- Dois irmãos (Milton Hatoum)
10- O livro da selva (Rudyard Kippling)
11- Chamado selvagem (Jack London)
12- Eu sou o mensageiro (Marcus Suzak)

Todos eles já estão na minha estante aguardando para serem lidos (alguns há bastante tempo...).Minha intenção é fazer uma postagem no meio do ano, contabilizando quais dos livros foram lidos e como foi a leitura. Até lá, vocês provavelmente verão alguns desses títulos nas TBRs das maratonas de 2018 (sim, vou continuar fazendo maratonas, adorei participar delas) e talvez em alguma resenha.

E vocês, o que pretendem ler este ano? 

domingo, 7 de janeiro de 2018

As melhores leituras de 2017



Encerrei as leituras de 2017 com minha Maratona de Final de Ano. Nessa semana de leitura, concluí algumas leituras que já estavam em andamento e li/reli mais algumas coisas, conforme a vontade foi batendo. Concluí uma leitura no Kindle: Bartleby and Co. (Henrique Vila-Matas), minha primeira leitura em inglês, da qual já havia lido 81%, lendo o restante durante a maratona. Terminei a leitura de Novelas Orientais (diversos autores), que já passava da metade, e da HQ Preacher - a caminho do Texas (Garth Ennis e Steve Dillon). Li pela primeira vez A menina que não sabia ler (John Harding), que me deixou louca pela continuação, e reli O Hobbit (J.R.R. Tolkien) e O pequeno príncipe (Antoine de Saint-Exupéry). 

No final das contas, encerrei o ano tendo lido 72 livros completos, o que bate meu recorde de leituras na vida (normalmente, leio entre 50 e 60 títulos por ano). E com tantos livros, decidi fazer um levantamento dos melhores do ano. 

1.MELHOR HQ/MANGÁ: Wolverine - origem


Apesar de eu ter lido várias HQs legais em 2017, nenhuma bateu a história de origem do Wolverine. Com ilustrações belíssimas e uma trama envolvente, o livro apresenta um dos mutantes mais famosos e queridos dos X-men e faz isso de maneira primorosa. 

2.MELHOR LIVRO DE CONTOS: Mausoléu - Duda Falcão


Li e reli algumas obras de contos, mas Mausoléu foi minha preferida pela variedade de temas e estilos que apresenta: há contos de terror num estilo mais clássico, ficção científica, histórias envolvendo cultos macabros,... Enfim, a miscelânea torna a leitura agradável e divertida. 

3.MELHOR LIVRO DE TERROR: Frankenstein - Mary Shelley



Mesmo sendo um livro do qual tinha muitas referências por meio da cultura pop, Frankenstein se mostrou completamente diferente do que eu esperava. Contando as profundas contradições da natureza humana, esse livro merece uma leitura não apenas pelos fãs das histórias de terror pela sua profundidade. 

4.MELHOR CLÁSSICO: Persuasão - Jane Austen



Li alguns clássicos em 2017, mas precisava eleger algo de Jane Austen para essa lista! A autora se consolidou como uma das minhas preferidas e Persuasão, que li pela primeira vez, me agradou bastante pela sua protagonista sensata e pelo retrato das convenções sociais que a autora consegue fazer magistralmente, como em suas outras obras. 

5.MELHOR LIVRO ADAPTADO PARA CINEMA/SÉRIE: Reparação - Ian McEwan



Quando iniciei a leitura de Reparação, a história me pareceu familiar e me dei conta que já havia assistido ao começo de sua adaptação cinematográfica. Quando terminei a leitura, absolutamente encantada com a forma como o livro foi construído, conferi o filme na íntegra. A versão para as telonas (ou telinhas) está disponível na Amazon Prime e consegue capturar bem a trama e a forma como ela se desenrola, sem muitas alterações. Além disso, conta com belas atuações de Keira Knightley e James McAvoy. Vale a pena ler e assistir. 

6.MELHOR INFANTO-JUVENIL: Extraordinário - R.J. Palacio / Pax - Sara Pennypacker



Aqui ficou impossível decidir entre um e outro. Os dois livros têm mensagens lindas sobre o amor e o carinho com os outros, além de constituírem leituras deliciosas, com histórias bem conduzidas. 

7.MELHOR RELEITURA: A casa das sete mulheres - Letícia Wierzchowski



Fazia tempo que queria reler A casa das sete mulheres, que acabou sendo uma das releituras mais marcantes do ano. Aliás, acabei não relendo muito em 2017 (eu sou uma grande adepta das releituras). A primeira vez que li esse livro, devorei-o em quatro dias e devia ter algo entre 14 e 15 anos. Relê-lo dez anos depois foi bem interessante, porque continuei gostando da história, mas percebi vários aspectos diferentes da primeira leitura. 

8.MELHOR LIVRO DE NÃO FICÇÃO: Os jovens e a leitura - Michelle Petit


Indicado em um curso de mediação de leitura do qual participei, Os jovens e a leitura foi muito interessante, por reforçar algumas percepções que eu já tinha sobre como incentivar a leitura e papel que o mediador exerce. Além disso, o texto me fez novas provocações e destacou pontos sobre os quais nunca havia pensado.

9.MELHOR LIVRO DE FANTASIA: O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares - Ransom Riggs



Com uma fantasia envolvente, o livro de Ranson Riggs foi devorado rapidamente e espero ler os outros volumes da série em 2018. A ideia do autor, de se basear em estranhas fotos antigas para escrever sua história, me conquistou. 

10. MELHOR LIVRO POLICIAL: A alcova da morte - Enéias Tavares, Nikelen Witter e A.Z. Cordenonsi



Escrito por três autores em conjunto, A alcova da morte foi uma ótima leitura de investigação por reunir elementos inusitados e construir uma narrativa deliciosa de ler.

11. LIVRO MAIS "SOCO NO ESTÔMAGO": A desumanização - Válter Hugo Mãe


Em 2017 li dois livros de Válter Hugo Mãe e ambos me encantaram ao ponto de esse autor já ser um dos meus preferidos. Pretendo ler outros livros dele em 2018! Em A desumanização, o autor consegue criar uma história bela e triste, dolorosa e poética. A história e a forma como ela mexe com o sentimento do leitor é um verdeiro "soco no estômago", ou seja, aquele tipo de leitura que marca profundamente e modifica o leitor.

Esses foram os meus preferidos de 2017. Em breve, passo aqui para contar as metas de leitura para 2018. Enquanto isso, me contem quais foram os livros de que vocês mais gostaram no ano passado!
Até mais!